Publicações

Os profissionais da Engetower têm plena satisfação em contribuir com a pesquisa e desenvolvimento do setor

Além de executar suas atividades técnicas, a equipe da Engetower está sempre disposta a partilhar conhecimentos e trocar experiências, contribuindo para a pesquisa e formação de profissionais do setor. Através da participação regular em seminários e conferências, são apresentadas as soluções técnicas desenvolvidas pela empresa e o resultado prático de sua implantação em projetos específicos.

Últimas Publicações

(XXIV SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 10/2017)
Jean Mark Carvalho Oliveira, Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo R. Liberato da Silva, Pedro Henrique de O. Liberato, Sírio José Ferreira, Reynaldo Castriota de Mello, Tadeu Rezende, Ricardo de O. e B. Perucci, Tiago Corradi Mello
Este Informe Técnico descreve os desafios da Engetower Engenharia e Consultoria no desenvolvimento de um software para modelagem tridimensional (3D) do detalhamento para fabricação e montagem de torres treliçadas para linhas de transmissão. Apresenta-se brevemente as etapas do projeto de uma torre enfatizando o processo usual de detalhamento bidimensional (2D) com suas dificuldades, simplificações e vantagens. A partir destas informações é apresentada a modelagem 3D, que compõe uma das etapas da tecnologia BIM, mostrando os objetivos perseguidos, algumas das dificuldades de implementação, as plataformas adotadas, as principais vantagens e os resultados alcançados.

Solicite o arquivo completo
(XXII SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 10/2013)
Marcos César de Araújo, José Henrique Machado Fernandes, Paulo Henrique Barbosa Naves, Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo Ralo Liberato da Silva, Reynaldo Castriota de Mello, José Luiz Nunes Michelini Filho, João Félix Nolasco, Kleber Ribeiro dos Santos
Este Informe Técnico aborda os principais aspectos, etapas e conclusões do estudo técnico e econômico elaborado pelas empresas Eletrobras Eletronorte, Leme Engenharia e Engetower Engenharia para a definição do cabo condutor e solução estrutural da LT 500 kV Lechuga – Equador e da LT 500 kV Equador – Boa Vista. Este estudo antecedeu a etapa de elaboração do Projeto Básico do empreendimento, com o intuito de definir previamente os principais parâmetros destas linhas. Foram selecionados 5 tipos de cabos condutores e 2 soluções estruturais visando à elaboração de um completo estudo econômico comparativo, incluindo a definição da adequada condição de tracionamento mecânico dos cabos, a definição da geometria das estruturas e a locação preliminar das mesmas em um perfil estimado. A partir dessas definições, foram obtidos os quantitativos e custos estimados dos vários componentes das LTs, sendo possível identificar a alternativa mais atrativa, tanto no aspecto econômico quanto no técnico, a qual se tornou, consequentemente, a solução a ser aplicada ao empreendimento.

Solicite o arquivo completo
(XXII SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 10/2013)
Amaury Saliba, Evandro P. Magalhães, Paulo Ricardo R. L. Silva, Mário Noburu Takai
A Interligação da Amazônia ao Sistema Elétrico Nacional-SIN, através da construção da Linha de Transmissão ligando a UHE Tucuruí a Manaus é estudada desde 1986 pela ELETROBRAS ELETRONORTE, visando a Interligação dos Sistemas Isolados ao SIN e substituição da geração térmica a óleo, com a consequente redução na emissão de gases do Efeito Estufa. Diversos estudos analisaram as opções técnicas mais viáveis e menos impactantes, levando-se em conta os critérios possíveis de evitar a passagem da Linha de Transmissão em corredores com áreas sob proteção legal, sobretudo Terras Indígenas e Unidades de Conservação, além de minimizar interferências sobre núcleos urbanos de população e Áreas de Preservação com cobertura de floresta natural, várzeas e outros Ecossistemas. Sendo a Região Amazônica e seu patrimônio ambiental de importância global, a implantação de qualquer Projeto nessa Região torna-se um considerável desafio e requer o máximo de cuidado e tecnologias adequadas na construção de Linhas de Transmissão e Subestações para minimizar as interferências com o sistema socioambiental. Neste contexto, o presente informe tem como finalidade descrever algumas fases de implantação da LT-500-kVOriximiná / Manaus, sobretudo de um trecho com aproximadamente 300 km de extensão, com seu traçado apoiado no Rio Amazonas, seus afluentes e paranás, advindo desta situação as dificuldades de logística, tendo a maioria das estruturas com acessos fluviais, e da necessidade de um planejamento diferenciado em relação às formas clássicas de construção de linhas de transmissão, principalmente devido também às condicionantes hidrológicas impostas pela Região Amazônica.

Solicite o arquivo completo
(XX SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 2009)
Kleber Ribeiro dos Santos, João Félix Nolasco, Hilton Antônio de Melo, Elilson Eustáquio Ribeiro, Alexandre E. Mendes Meloni, Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo R. Liberato da Silva, Reynaldo Castriota de Mello, Sírio José Ferreira, Ricardo Martin, Rogério de Campos Vieira
O Setor de energia elétrica brasileiro vivencia uma fase excepcional, com altos investimentos em geração e transmissão de energia. Faz parte deste contexto a interligação de áreas importantes da região Norte (Rondônia, Acre, Amazonas e Amapá) com o restante do Sistema Interligado Nacional (SIN). Leilões da ANEEL têm considerado tais interligações, sendo que estes vêm promovendo uma intensa busca de soluções de engenharia para se atingir eficiência máxima, objetivando o menor custo possível do empreendimento. No Leilão ANEEL No 005/2006, a Companhia Jauru Transmissora de Energia S/A, consórcio formado pelas empresas COBRA, ELECNOR e ISOLUX, venceu a concessão das LTs 230 kV que interligarão o estado de Rondônia ao de Mato Grosso, interconectando as subestações de Samuel, Ariquemes, Ji-Paraná, Pimenta Bueno, Vilhena e Jauru, com trechos de LTs em circuito simples e duplo. Assim, a Jauru Transmissora e as projetistas contratadas, Leme Engenharia e Engetower Engenharia, buscaram soluções integradas de engenharia que atendessem aos parâmetros elétricos exigidos pela ANEEL e às características de cada trecho de LT, bem como que possibilitasse atingir as taxas de retorno almejadas pelos investidores. As empresas envolvidas no projeto desenvolveram o projeto básico, os estudos elétricos, a solução estrutural e o projeto eletromecânico mais adequados às necessidades técnicas e econômicas do empreendimento. Para a linha de circuito duplo, LT 230 kV Vilhena – Jauru, foi desenvolvida uma nova série de torres de suspensão, a tipo Danúbio, onde a torre de suspensão típica é estaiada monomastro possuindo uma configuração de dois circuitos triangulares. O presente informe técnico descreve aspectos elétricos, mecânicos, estruturais e econômicos desta solução inédita de projeto e apresenta alguns dos resultados obtidos com a sua aplicação na referida linha de transmissão.

Solicite o arquivo completo
(XX SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 2009 - 2009)
Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo R. Liberato da Silva, Reynaldo Castriota de Mello, Sírio José Ferreira
Antes que seja iniciada a fabricação em série de estruturas para Linhas de Transmissão, muitas vezes são realizados Testes de Carga de protótipos em escala real a fim de se avaliar a confiabilidade dos projetos estruturais. Nestes testes as hipóteses de carga mais significativas são aplicadas às estruturas em etapas e as medições de cargas e deformações representam os dados do comportamento da estrutura durante o ensaio. Estudos combinando resultados de inúmeros Testes de Carga com modelos estatísticos teóricos concluíram que uma função do tipo Log-Normal com média e desvio padrão em torno de 105% e 9% da resistência teórica, respectivamente, seria adequada para descrever a resistência das estruturas. Estes resultados, combinados com a metodologia da norma IEC 60826 [4], levaram à adoção de um coeficiente de minoração de resistências igual a 0.93 para estruturas submetidas a Testes de Carga, de forma que a resistência com limite de exclusão de 10% de tais estruturas seja sempre superior à carga aplicada. O presente Informe Técnico apresenta as análises dos resultados de 9 Testes de Carga destrutivos realizados em estruturas projetadas pela Engetower Engenharia cujos colapsos ocorreram em estágios de 115% até 155% da carga de projeto. A discrepância desses valores em relação aos estudos citados levou à análise dos resultados e à conclusão de que o valor do coeficiente de minoração de resistências adotado deveria ser reavaliado, evidenciando-se também a necessidade de que sejam estabelecidos critérios e condições para aprovação de Testes de Carga.

Solicite o arquivo completo
(BIENAL DA CIGRÉ - PARIS - 2008) José H.M. Fernandes, M.C. Araújo, V.G. Machado, M.N. Takai, R.P.Guimarães, J.F. Nolasco, P.R.R.L. da Silva
The Amazon region is characterized by its exuberant jungle, by the abundance of its hydroelectric resources, so far not well exploited and by the low amount and big sparsity of electric energy consumption in its vast territory. In such region, around 50% of available Brazilian hydroelectric resources are situated at a distance of roughly 2000 km far from the big consumption centres, most of which at South-eastern and Southern areas. The transmission of large blocks of power requires therefore the development of overhead lines having high power-carrying capabilities; besides, for developing such systems, huge financial amounts are necessary, so that the transmission systems need to be economically enough designed so as to provide the electric energy to the consumers at a competitive cost. During the last three decades, Eletronorte, the Brazilian state-owned Utility responsible for generation and transmission in Northern Brazil, has studied and implemented several overhead lines aimed at improving the cost/benefit ratio of its electric system, this meaning systems able to carry higher amount of electric energy at the lowest possible cost. Inside this context, the present report describes the evolution of overhead line conception, especially their steel supports, as well as the basic line designs for 230 kV and 500 kV levels, developed in the last years by Eletronorte and engineering companies for carrying higher and higher powers per circuit. At first, it will be shown how the Utility has faced and overcome the challenge of developing 230 and 500 kV overhead lines providing high Surge Impedance Levels, as required for transmitting large power blocks to distant regions. The evolution of the mechanical design of the towers will be presented, considering the options of compact towers and/or bundle expansion, starting with the self-supporting “racket” tower, continuing with cross armless towers, either of the Chaînette type or cross-rope version, ending with a new tower type recently under evaluation and introduced. Therefore, it will be shown that this new conception is gaining technical and economical attractiveness, namely single-mast guyed towers provided with expanded-bundle configurations. Concluding, the compaction techniques associated with the expanded-bundle conception using the last mentioned single-mast guyed structures have made possible to implement overhead lines with a transmission capacity 20% higher and cost 25 % lower than the corresponding figures obtained with the conventional designs, being such new “optimized” conceptions available to transmission system planners and transmission line designers, opening therefore new possibilities for the optimization of electric systems.

Solicite o arquivo completo
(XIX SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 2007)
Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo Ralo Liberato da Silva, Reynaldo Castriota de Mello, Sírio José Ferreira, Luiz Eduardo Marcílio
Tem sido prática bastante difundida no Brasil a construção de linhas de transmissão com a reutilização de projetos existentes de torres, adequando-se apenas os vãos e ângulos de aplicação de cada estrutura às condições específicas do local de implantação da LT. Para estas adequações, normalmente considera-se a atuação de ventos frontais conforme critérios de carregamentos propostos pela IEC 60826 ou pela NBR 5422. Nesse contexto a ENERSUL adquiriu, junto à CEMIG, projetos de uma série de torres para linhas de 138kV circuito simples, desenvolvidos em 1982 com parâmetros climáticos e características de aplicação específicos da área de concessão da empresa mineira. Tais projetos foram então utilizados na construção da Linha de Transmissão 138kV Circuito Simples PCH Paraíso / Chapadão do Sul, com 54km de extensão, energizada em 27 de dezembro de 2003. Nos dias 03 de junho e 16 de outubro de 2004 foram registradas interrupções na LT, causadas pelo colapso estrutural de torres durante fortes vendavais associados a chuvas com granizo. Diante de falhas tão precoces surgiu a necessidade de se reverificar a confiabilidade estrutural da LT, além de realizar-se estudos para determinação das causas mais prováveis dos colapsos. O presente Informe Técnico apresenta os estudos desenvolvidos nas análises estruturais para determinação das causas prováveis dos colapsos acima relatados, seus principais resultados e as conclusões e recomendações deles advindas.

Solicite o arquivo completo
(XIX SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 2007)
Vanderlei Guimarães Machado, José Henrique Machado Fernandes, Marcos César de Araújo, Mário Noboru Takai, Ricardo Alexandrino Vasconcelos, Antônio Pessoa Neto, Ruy Barbosa Pinto Jr, Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo R. Liberato Silva, Reynaldo Castriota de Mello, Sírio José Ferreira
O atual ambiente no setor elétrico brasileiro, com a abertura legal para os empreendimentos privados e, em particular, com a implantação da sistemática dos leilões para a definição dos concessionários das linhas de transmissão a serem construídas, vem promovendo uma saudável competição entre as empresas de engenharia desse setor, pelo desenvolvimento de soluções de projeto que, incorporando inovações tecnológicas, mostrem-se economicamente vantajosas quanto aos desempenhos elétrico, mecânico e estrutural. Neste contexto, as empresas ELETRONORTE, CHESF e ENGETOWER desenvolveram estudos para utilização de estrutura estaiada monomastro cara de gato com feixe expandido na LT 500 kV Interligação Norte / Sul III - Trecho 2, com 525 km de extensão, concessão da empresa INTESA - Integração transmissora de Energia S.A., sociedade formada pelas empresas Eletronorte, Chesf, Engevix e Fundo de Invest. Part. Brasil Energia, vencedora de leilão da ANEEL realizado no final de 2005. O presente informe técnico descreve aspectos elétricos, mecânicos e estruturais desta solução de projeto e apresenta alguns resultados comparativos do estudo de otimização com a solução estaiada “V” com feixe expandido e a solução “Cross-rope” equivalentes.

Solicite o arquivo completo
(XVIII SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 10/2005)
Luiz Alkimin de Lacerda, Paulo Alexandre de Oliveira, Amanda Jarek, Carlo Giuseppe Filippin, Borys Wictor Dagostim Horbatiuk - LACTEC, Francisco Gris Liberato Marcolino, Valdir Cerqueira Petersen - AMPLA, Paulo Ricardo Ralo Liberato da Silva - ENGETOWER
Nesse trabalho descrevem-se os estudos realizados com o objetivo de construir um modelo reduzido de uma torre de suspensão para a realização de ensaios estruturais estáticos e dinâmicos. O modelo reduzido é definido de tal forma que as situações críticas encontradas no protótipo também possam ser vistas e avaliadas no modelo reduzido. As limitações encontradas para a fabricação de peças estruturais tipo cantoneiras de abas iguais em tamanhos reduzidos são apresentadas, bem como o possível impacto das mesmas sobre os resultados dos ensaios. Os ensaios estáticos realizados seguiram as especificações da norma NBR-8842/85 e os resultados foram comparados às medições dos testes de carga do protótipo da torre e aos resultados computacionais.

Solicite o arquivo completo
(XVIII SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA e XI ERIAC - ENCUENTRO REGIONAL IBERO AMERICANO DEL CIGRE - 2005)
Vanderlei Guimarães Machado, Camilo Machado Júnior, José Henrique Machado Fernandes, Marcos César de Araújo, Mário Noboru Takai, Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo Ralo Liberato da Silva, Reynaldo Castriota de Mello, Sírio José Ferreira
O atual ambiente no setor elétrico brasileiro, com a abertura legal para os empreendimentos privados e, em particular, com a implantação da sistemática dos leilões para a definição dos concessionários das linhas de transmissão a serem construídas, vem promovendo uma saudável competição, entre as empresas de engenharia desse setor, pelo desenvolvimento de soluções de projeto que, incorporando inovações tecnológicas, mostrem-se economicamente vantajosas quanto ao desempenho elétrico, mecânico e estrutural. Neste contexto, a ELETRONORTE e a ENGETOWER desenvolveram estudos para utilização de estrutura estaiada monomastro com feixe expandido na LT 230 kV circuito simples Cuiabá / Rondonópolis, com 171 km de extensão, no Estado de Mato Grosso, concessão da empresa AETE - Amazônia - Eletronorte Transmissora de Energia S.A., sociedade formada pelas empresas Eletronorte, Alubar, Encomind, Linear Participações e Bimetal, vencedora de leilão da ANEEL realizado no final de 2003. O presente informe técnico descreve aspectos elétricos, mecânicos e estruturais desta solução de projeto e apresenta alguns dos resultados obtidos com a sua aplicação na referida linha de transmissão.

Solicite o arquivo completo
(XVIII SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 2005)
Filipe Guerra Soares, Paulo Ricardo Ralo Liberato da Silva, Reynaldo Castriota de Mello, Sírio José Ferreira, Evanildo Ramos Ribas, Kleber Ribeiro dos Santos, João Felix Nolasco
As licitações da ANEEL para concessões de novas linhas de transmissão, abertas à participação de empresas privadas, promoveram uma intensa busca por soluções de engenharia focadas na obtenção da eficiência máxima, esta última entendida como o menor custo possível do empreendimento, nele incluídos a instalação, as perdas e os riscos de penalizações pelos órgãos fiscalizadores. Assim, no tocante às estruturas, componente de grande representatividade no custo e na confiabilidade das linhas, as empresas participantes do setor têm envidado esforços no sentido do desenvolvimento de soluções inovadoras, ou de melhorias nas soluções tradicionalmente empregadas, que tragam vantagens competitivas aos empreendimentos dos quais participam. Neste contexto, a Companhia Transleste de Transmissão S/A, sociedade formada pelas empresas ALUSA, CEMIG, FURNAS e ORTENG, vencedora do contrato de concessão da LT Montes Claros 2 - Irapé 345 kV (138,5 Km de extensão) em leilão realizado pela ANEEL no final de 2003, com deságio de 34% sobre a receita máxima anual permitida, se viu na busca de uma solução estrutural que atendesse a todos os parâmetros elétricos exigidos pelos editais da ANEEL e que possibilitasse atingir as taxas de retorno almejadas, não obstante o alto deságio ofertado. Foram então contratadas as empresas LEME, JFNOLASCO e ENGETOWER, as quais desenvolveram os estudos elétricos, os estudos de otimização de solução estrutural estaiada monomastro cara de gato, o projeto básico, o projeto executivo das estruturas e o projeto eletromecânico da LT, todos eles ajustados às necessidades técnicas e econômicas para a realização bem-sucedida do empreendimento. O presente informe técnico descreve aspectos elétricos, mecânicos, estruturais e econômicos desta solução de projeto e apresenta alguns dos resultados obtidos com a sua aplicação na referida linha de transmissão.

Solicite o arquivo completo
(XVII SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 01/2003)
Claiton A. R. Homrich
O presente trabalho apresenta a experiência da AES Sul obtida com a utilização em seu sistema de transmissão de estruturas metálicas compactas de 69 kV em áreas urbanas. Esse tipo de utilização possibilitou uma significativa redução no custo final da obra comparada com as estruturas em concreto, normalmente utilizada em áreas com elevada densidade populacional. Além disso, a prática adotada reduziu substancialmente as dimensões das estruturas, atenuando o impacto visual resultante da construção das torres. Mostra-se aspectos relevantes do projeto dessas torres detalhando onde foram auferidas as reduções de custo, bem como ilustrações que mostram a redução da poluição visual alcançadas com o seu emprego.

Solicite o arquivo completo
(XVI SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 2001)
Amaury Saliba, Jaime de Oliveira, José Henrique M. Fernandes, Mário Noboru Takai, Erivelto Gomes Regueiro, Paulo Ricardo R. Liberato Silva, Reynaldo Castriota de Mello, César Augusto Luccas, Túlio Pavanello Junior
O presente informe técnico tem por objetivo relatar a experiência adquirida na instalação de um cabo OPGW (Optical Ground Wire) adicional na Linha de Transmissão compacta energizada de 500 kV Imperatriz / Presidente Dutra, com extensão de 385 Km, da ELETRONORTE. Inicialmente são apresentados alguns aspectos técnicos e econômicos relativos à definição dos custos comparativos de implantação em linha viva e desligada, bem como comentários e resultados referentes às análises de viabilidade quanto ao desempenho elétrico e mecânico/estrutural. Em seguida são descritos os critérios de projeto adotados e os detalhes construtivos dos dispositivos de fixação do cabo OPGW nas estruturas. Apresenta-se, então, breves relatos sobre ensaios de montagem no campo, sobre o processo construtivo de lançamento do cabo OPGW e sobre os resultados obtidos. Finalmente, e à guisa de conclusão, são listadas algumas constatações surgidas ao longo dessa experiência de implantação de cabo OPGW em LT’s compactas energizadas.

Solicite o arquivo completo
(XIV SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 1997)
Amaury Saliba, Mário Noboru Takai, Sílvio Caldas, Paulo Ricardo R. Liberato Silva, Reynaldo Castriota de Mello, João Batista G. Ferreira da Silva, Rogério Peixoto Guimarães
O presente informe técnico relata aspectos de projeto e de construção das LT’s 69 kV, circuito simples, SE Distrito Industrial - SE’s Reman / Gillette / Videolar, situadas no setor Industrial de Manaus-AM, construídas com uma extensão total de 3589 m, utilizando-se estruturas metálicas treliçadas de seção constante tipo “TRUSSPOLE” - poste treliçado (Figura 1). Inicialmente, são apresentados as características gerais básicas que nortearam o projeto das linhas e os critérios adotados para a definição dos vários tipos de estruturas utilizados ao longo do traçado. Em seguida, são indicados os principais resultados obtidos durante o processo executivo. Finalmente, e à guisa de conclusão, são tecidos alguns comentários relativos à aplicação desta solução de projeto na construção de LT’s urbanas de baixa tensão.

Solicite o arquivo completo
(XIII SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 10/1995)
PAULO RICARDO RALO LIBERATO DA SILVA, REYNALDO CASTRIOTA DE MELLO, SÍRIO JOSÉ FERREIRA, MÁRCIA AUGUSTA DE MOURA CADETE, MAURO DIAS DE SOUZA, ROBERTO PIRES DANTAS
O informe relata a origem, o desenvolvimento e os resultados de aplicação do TRUSSPOLE - Poste Metálico Treliçado. Trata-se de uma estrutura treliçada espacial com fundação metálica única, similar ao poste de madeira ou de concreto, capaz de associar as vantagens técnico-econômicas das estruturas treliçadas com as dos postes maciços ou tubulares. São relatados os resultados obtidos no projeto, nos ensaios de carga de um protótipo inicial de estudos e na construção de uma LT 69 kV C.S., com extensão se 53.2 Km, utilizando este tipo de solução estrutural.

Solicite o arquivo completo
ERLAC - ENCONTRO REGIONAL LATINO AMERICANO DA CIGRE - 05/1993)
JOÃO BATISTA G. FERREIRA SILVA*, PAULO RICARDO R. LIBERATO DA SILVA, VILSON RENATO DA SILVA
Um projeto otimizado de linha de transmissão não pode deixar de considerar na sua concepção a influência marcante das condições de clima e relevo. Assim, uma linha, guarda uma estreita relação com a região para a qual a mesma foi projetada. Dentro deste contexto, é razoável pensar-se que estruturas para linhas de transmissão (ou mesmo linhas completas) são elementos não padronizáveis para diferentes regiões, sob pena de se comprometerem os índices almejados de performance e/ou economia. O que aconteceu com o Brasil, entretanto, foi que, com o passar do tempo, os sistemas de linhas de transmissão se multiplicaram, interligaram-se, surgindo até mesmo linhas que atravessam diferentes regiões geográficas. Outro fato interessante é que, para uma mesma região, projetos executados em épocas diferentes apresentaram resultados bastante diferentes, fruto da evolução tecnológica e da experiência adquirida na construção e operação dos sistemas anteriores. O que resultou, afinal, no Brasil, foi que os projetos feitos para LT’s de diferentes regiões e em épocas distintas, começaram a apresentar traços muito semelhantes, principalmente no que diz respeito às estruturas. Além destas constatações, um outro fato que contribuiu para que algum dia se pensasse na possibilidade de padronização de linhas de transmissão, foi a forma como o mercado de energia elétrica se organizou. Por razões de ordem política, econômica e social o sistema elétrico brasileiro se estruturou através de grupos de empresas com características notadamente geradoras e transmissoras e outras com perfil marcante de distribuidoras. Obviamente também existe o grupo de empresas que abrangem as duas atividades. De qualquer forma, a partir de certa época, começaram a surgir em grande número, as linhas de subtransmissão e interligações do sistema. O que caracteriza, em geral, a subtransmissão é o grande conjunto de linhas de pequena extensão. Linhas de curta extensão normalmente não justificam, por razões econômicas e de prazo, a elaboração de projetos específicos. O que resulta, então, é que empresas de pequeno porte geralmente com perfil de distribuidoras de energia, se vêem forçadas a utilizarem projetos existentes e muitas vezes obsoletos, em suas linhas de subtransmissão e distribuição de energia elétrica. Dentro deste contexto, o conceito da padronização surge como uma idéia interessante. O presente informe pretende descrever como a comissão criada pela ELETROBRÁS através do COBEI para estudar a padronização de estruturas de 69 e 138 kV tem trabalhado. Os trabalhos da comissão ainda encontram-se em andamento. Importantes resultados e conclusões, no entanto, já foram obtidos.

Solicite o arquivo completo
(XI SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 10/1991)
JOÃO FÉLIX NOLASCO, JOÃO BATISTA GUIMARÃES FERREIRA DA SILVA, LUIZ ANTÔNIO RALO LIBERATO DA SILVA, PAULO RICARDO RALO LIBERATO DA SILVA
Muito se construiu no Brasil em termos de linhas de transmissão nos últimos vinte anos. Do norte ao sul do país, quilômetros e quilômetros de linhas se espalharam, cruzando as mais diferentes regiões climatológicas e de relevos. Este conjunto de linhas construído e em operação representa, hoje, um grande potencial de análise experimental, que pode permitir aos profissionais do setor elaborar projetos mais realistas para as linhas a serem construídas no futuro. O acompanhamento das linhas existentes, bem como a formação de banco de dados de estações meteorológicas já instaladas, têm encorajado os projetistas a evoluírem do método determinístico para o método probabilístico como filosofia básica de projeto de novas linhas. Dentro desse contexto, a ocorrência indesejável de uma falha no sistema instalado pode, por outro lado, oferecer uma extraordinária oportunidade de análise e aferição do que se fazia anteriormente, em comparação ao que hoje se faz. Isto, sem dúvida nenhuma, é um excelente exercício para se consolidar o que fazer no futuro. O presente informe pretende mostrar uma análise com este enfoque, sobre o acidente em 2 estruturas estaiadas para linhas de transmissão em 500 kV do sistema de São Simão da CEMIG.

Solicite o arquivo completo
(SYMPOSIUM LENINGRAD - COMPACTING OVERHEAD TRANSMISSION LINES - 06/1991)
J.B.G.FERREIRA DA SILVA, P.R.R.LIBERATO DA SILVA
It is generally known that today financial resources for the construction of new transmission lines are scarce. Moreover, ecological and environmental aspects are gradually becoming more difficult to equate conveniently. Consequently, the operation of existing systems and the implementation of new transmission line projects require optimization studies in order to provide the user with efficient solutions. With regard to the existing systems, uprating and upgrading old lines have turned out an attractive means to ensure the optimization of resources. For systems to be built, however, the design of compact lines has proved to be the most feasible alternative as all efforts should be exerted to increase the transmission capacity of line corridors. Thus, new concepts of compact lines have arisen so that power increases reaching up to about 30 percent have been reported. For attaining such an objective, the main line components (conductor, insulator, structure) require special compacting studies, that may frequently result in new solutions and/or materials. Regarding the towers, one of the alternatives deemed most viable for reaching a good degree of compaction is the introduction of the three phases in the inner air space of the upper tower geometry, thus avoiding the introduction of metallic parts in between the phases. This report presents a solution, as above mentioned, designed for a compact 500 kV self supporting tower, recently developed by ELETRONORTE - a public utility of Northern Brazil.

Solicite o arquivo completo
(X SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 10/1989)
JOÃO BATISTA GUIMARÃES FERREIRA DA SILVA, PAULO RICARDO RALO LIBERATO DA SILVA, JOÃO FÉLIX NOLASCO, LEOVERGILDO ROSETE DIAS
Uma das tendências marcantes nos sistemas elétricos atuais, por parte das concessionárias, se traduz no reaproveitamento das linhas de transmissão existentes para maiores capacidades. As crescentes dificuldades na obtenção de novas faixas de servidão, aliadas à escassez de recursos para novos investimentos, tornam o reaproveitamento, seja através do reisolamento, seja por vias do recondutoramento de linhas existentes, uma solução bastante atraente. A reforma de linhas antigas, até então geralmente efetuada à base de uma substituição de elementos já danificados ou comprometidos, deve ser encarada de maneira mais ampla, visando a aumentar o índice de eficiência (MW/m) da faixa. A introdução dos métodos estatísticos da IEC / CIGRÉ para cálculo dos carregamentos das estruturas de linhas de transmissão e a utilização de critérios de riscos de falha, associados a períodos de retorno de vento, vieram a representar valiosa ferramenta para a avaliação técnico-econômica dos reaproveitamentos. É evidente que os métodos estatísticos, por si próprios, nada poderiam representar em termos de oferecer maior segurança ou menores riscos a uma linha de transmissão. Ocorre, no entanto que, de posse de informações sobre a importância estratégica de uma determinada linha para o sistema de transmissão como um todo, pode o projetista, coordenando a possibilidade de falha dos componentes, julgar como melhor reaproveitá-la em termos de segurança e confiabilidade. Pode-se afirmar, enfim, que, com a adoção dos métodos estatísticos, passou-se a trabalhar com classes de riscos calculadas e com valores reais de vento, o que permite projetos mais otimizados, e nos estudos de reaproveitamento, maiores possibilidades de recapacitação das linhas.

Solicite o arquivo completo
(3º ELARC - ENCONTRO REGIONAL LATINO AMERICANO DA CIGRE - 08/1989)
J.B.G.F.SILVA, P.R.R.LIBERATO SILVA, J.F.NOLASCO
As cargas de desbalanceamento longitudinal têm sido um tema constante de estudo para os atuais Grupos WG - 06 - Confiabilidade e Segurança de Linhas de Transmissão e WG - 08 - Estruturas para Linhas de Transmissão, da CIGRÉ. As principais indagações dizem respeito à forma de avaliação do problema, aos valores a serem considerados, ao grau de incerteza das cargas e aos efeitos que as mesmas podem causar nas estruturas. Testes dinâmicos têm sido realizados em alguns países mas muito pouco pôde ser efetivamente ser concluído até agora. O cabo condutor, no entanto, tem-se mostrado como componente talvez mais seguro de um sistema de linha de transmissão. A incidência de condutores rompidos tem sido pequena, muito embora quedas em cascata tenham ocorrido com certa freqüência, principalmente em países onde são comuns elevadas velocidades de vento. A tentativa de justificativa para estas falhas conduz pois à investigação da resistência longitudinal das estruturas, que, embora não estejam necessariamente associada à ruptura do condutor, geralmente desta depende como carga básica para o seu dimensionamento. Uma análise comparativa da resistência longitudinal e transversal de certas estruturas revela que pode existir uma grande diferença entre as mesmas. Isto ocorre principalmente para as torres de suspensão em linhas com tensão em 500 kV e acima, quando tais estruturas são auto-portantes. Estas torres, por questões de economia, tendem a ser retangulares, com menor resistência longitudinal. Nestas torres, a não consideração correta de pressões de vento oblíquas e/ou longitudinais pode, eventualmente, conduzir a um carregamento longitudinal sub-avaliado; esta consideração errônea, associada à menor resistência das estruturas nesta direção, acaba por sugerir uma situação crítica de falha, aparentemente imprevista, mesmo sem uma necessária ruptura do condutor. Situações como esta podem ocorrer no Brasil onde em passado recente, foram projetadas estruturas nas quais ainda não se aplicavam as últimas recomendações da IEC. O presente trabalho pretende, neste sentido, aclarar a situação, analisando um modelo de estrutura sensível ao questionamento acima mencionado.

Solicite o arquivo completo
(3º ELARC - ENCONTRO REGIONAL LATINO AMERICANO DA CIGRE - 05/1989)
P.R.R.LIBERATO SILVA, J.B.G.F.SILVA, C.R.GONTIJO
Muito se tem discutido recentemente sobre a utilização dos perfis de chapas dobradas nas estruturas para linhas de transmissão. A partir dos primeiros protótipos executados na Europa e da revisão da publicação nº 52 da American Society of Civil Enginnering, na qual foi incluído também o dimensionamento e utilização de tais perfis, este tema passou a ser uma constante nas reuniões do Grupo de Trabalho WG-08 - Estruturas da CICRÉ. Em termos filosóficos a questão pode ser colocada de uma maneira lógica e racional: trata-se da conformação de cada perfil apropriada para cada condição de utilização em especial. A partir desta conclusão lógica, no entanto, quando se inicia uma discussão mais detalhada de como fabricar as estruturas, esta possibilidade aparentemente ilimitada em termos teóricos esbarra nas limitações de fabricação e nos critérios de padronização de bitolas e processo, inevitáveis no sistema industrial. Estas condições até certo ponto antagônicas começam a convergir para uma posição de equilíbrio, que em última análise representa a atual situação de mercado, na qual começam a aparecer as estruturas, tecnicamente viabilizadas e em condições econômicas competitivas. No Brasil, nos dois últimos anos muito se tem questionado sobre as possibilidades e/ou vantagens da execução de projetos de estruturas para linhas de transmissão, utilizando-se estes perfis dobrados a frio. As principais indagações dizem respeito aos critérios a serem utilizados no dimensionamento, aos tipos de perfis e aços a serem utilizados, à adaptação dos fabricantes brasileiros a este novo produto, às questões de estocagem de matéria prima, enfim, à economia possível de ser obtida dentro da realidade brasileira. As respostas a estas questões, só poderiam ser obtidas através da execução de um projeto real. A materialização deste projeto pioneiro está sendo conduzida pelo Grupo de Trabalho GT-08 - Estruturas da CIGRÉ Brasil. Este estudo está em fase final de conclusão. É o que se mostra a seguir.

Solicite o arquivo completo
(IX SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA - 10/1987)
J. B. G. F. SILVA, L.A.R.L. SILVA, R.C. MELLO - MENDES JÚNIOR INDUSTRIAL LTDA.
A ocorrência de linhas aéreas de transmissão em áreas urbanas tem se tornado cada vez mais freqüente. Este fato se deve a dois motivos básicos. Em primeiro lugar, linhas de transmissão construídas no passado para alimentar subestações próximas às cidades, hoje, devido ao crescimento destas, encontram-se totalmente incorporadas à paisagem urbana. A cidade cresce, ocupa as áreas adjacentes à linha, e em alguns casos (como em favelas), até a própria faixa de servidão. Por outro lado, devido ao crescimento da demanda, tornam-se cada vez mais necessárias as construções de linhas de subtransmissão que interliguem as subestações receptoras às distribuidoras. Para a implantação destas linhas urbanas, os aspectos decorrentes da interação com o meio ambiente tornam-se os mais relevantes, exigindo-se cuidadosos estudos, onde as avaliações de impacto visual, segurança e compactação, assumem papel de destacada importância. As estruturas monotubulares de aço têm se mostrado como excelentes suportes para estas linhas de transmissão específicas. No que se refere ao sistema de ligação às fundações destas estruturas, duas soluções clássicas têm sido adotadas: o engastamento direto do poste no solo através de concreto, e o uso de chapas de base com chumbadores. A primeira solução, mais vantajosa economicamente, em geral, dificulta o nivelamento e/ou aplicação de contra-flechas nas estruturas em ângulo. Deve-se ressaltar que estes postes são estruturas bastante flexíveis. Por outro lado, o engastamento direto também quase inviabiliza a substituição de uma estrutura eventualmente avariada. A segunda solução, tecnicamente perfeita, tem se mostrado mais cara para as condições do mercado brasileiro. Este informe apresenta o relato de ensaios experimentais efetuados em um tipo intermediário de ligação à fundação, econômico como o engastamento direto e versátil como a solução com chumbadores. Trata-se de sistema com caixa de concreto e areia adensada com água e confinada através de selo. O informe relata toda a sistemática e desenvolvimento do ensaio, os resultados obtidos do ponto de vista estrutural e de deformações e as conclusões finais do experimento.

Solicite o arquivo completo
(IX SNPTEE - SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - 05/1987)
P. R. R. L. SILVA, J. B. G. F. SILVA
Já no final da década de 70 muito se discutia a respeito do uso de cantoneiras da série métrica na fabricação de estruturas metálicas no Brasil. Em 1983 com a publicação da norma brasileira 6109 e a conseqüente oferta por parte das siderúrgicas, das cantoneiras milimetradas, as discussões se acentuaram a respeito das adaptações necessárias aos projetos existentes com perfis em polegadas, aos critérios a serem desenvolvidos para os novos projetos, a economia ou não nos pesos das novas estruturas, bem como sobre a real disponibilidade dos perfis para utilização. As conclusões e respostas a estas questões só poderiam ser obtidas através da execução de um projeto real. A materialização deste projeto pioneiro, no entanto, tornava-se difícil devido às condições comercias de mercado, de estocagem de matérias primas, de interesses comerciais particulares, e até mesmo de inércia dos setores envolvidos. Foi necessário, então, que uma empresa concessionária, no caso a Companhia Energética de Minas Gerais, através de uma concorrência específica, exigisse um fornecimento onde somente seriam aceitas, estruturas que utilizassem perfis do sistema métrico. O presente trabalho, apresenta o resultado deste primeiro projeto padrão de estruturas para L.T. 138 kV, circuito simples, utilizando os perfis da série métrica disponíveis no mercado brasileiro. São mostradas todas as dificuldades encontradas durante o fornecimento e as conseqüências sobre o cálculo, projeto, fabricação e inspeção.

Solicite o arquivo completo